Macau, o leãozinho moribundo

Eu cá dava tudo para ver uma coisa qualquer, com um palco a pingar suor e música a valer. Mas eu sou esquisito e não vou em qualquer cantiga. E olho para o lado e penso, estou doente, terei algum problema? Sou só eu? Sim, ao lado não vejo ninguém.

Lições de Fotografia I

Isto é tudo teoria, porque na prática é bem diferente. E quando se tem de fotografar uma corrida em que os homens usam animais, em que o que a rodeia é um charco de lama, já se sabe onde vamos parar. Por isso nada de planos.

Aqui só há uma lenda e não tem legendas

Luís Amorim morreu aos 17 anos. Vitor Silva anos antes, também jovem, em pleno dia. Também foi, igualmente sem justiça. Ambos eram portugueses. Mas não importa a nacionalidade, o que importa é que ninguém, ou quase ninguém, fez nada para tentar apurar a verdade, que por vezes vive muito distante da realidade.

A minha lista

Faltam pessoas que não falem nem chinês nem português. Que originem na sala de reuniões o bizarro enleio da tradução, mas que vivem em Macau e têm o gosto e a visão do outro lado da montanha.

Almoço de recados

Uma personagem de um tempo antigo, este moço de recados. Dizia coisas da boca para fora. Aviava os outros mas mal fazia o que lhe mandavam. Tinha veneno na guelra e seguia sempre pelo seu caminho, sem deixar de olhar para um lado ou para o outro, sempre que uma barreira lhe ocupava a progressão. E assim se foi fazendo.

Pin It on Pinterest